Conheça o Júri Oficial do FINCA 2017

 O XVII FINCA tem o orgulho de apresentar mais detalhes sobre corpo de jurados dessa edição! São, ao todo, oito pessoas - cada uma com sua especialidade na música. Elas e eles vão acompanhar nossas classificatórias, tendo a cada dia, cinco jurados avaliando nossos artistas.  Seguem mais informações sobre nosso júri: 

 

Célia Porto

Célia Porto é cantora, nascida e criada em Brasília. Tem formação em canto erudito pela Escola de Música de Brasília e Letras pela Uni-Ceub. Com mais de 20 anos de carreira, é considerada uma das cantoras que valorizam Brasília no repertório. Tem quatro CDs gravados e, atualmente, além de administrar a carreira solo, trabalha com a direção artística e produção do consagrado projeto I'LL BE THERE, em homenagem a Michael Jackson. 

 

 

Chris Dantas

 Chris Dantas é cantora, pianista, maestrina, compositora e preparadora vocal. Cursou piano clássico, canto popular e erudito e licenciatura no Instituto de Música de Brasília, Escola de Música de Brasília (EMB), e na Universidade de Brasília (UnB). É também preparadora vocal, diretora geral e musical de espetáculos, com destaque para "Camp Rock", “Hair”, "Across the Universe", "Jekill and Hide" e "Burlesque”. Ganhou premiações em concursos no Brasil, Europa e Estados Unidos. Cantora no estilo Jazz Fusion, Blues e MPB, apresenta-se em teatros e cafés, além de atuar como jurada e preparadora vocal em concursos.

 

 

 

Daniel Sarkis

 Daniel Sarkis é músico e trabalha com trilhas sonoras para cinema, teatro e dança. Aprendeu a tocar sozinho, na adolescência, e formou-se pela Escola de Música de Brasília, onde aprimorou o conhecimento musical. De 2008 a 2012 foi membro do Conselho de Cultura do DF. Durante a carreira, participou de vários grupos musicais, com destaque para a Orquestra de Violões de Brasília e o Mandragora. 

 

 

 

Diogo Vanelli

Diogo Vanelli é formado em Música e mestre em Audiovisual pela UnB. Trabalha como músico em bandas, peças de teatro, filmes e animações. Recebeu prêmio de Melhor Sonoplastia com a Ópera de Três Vinténs (direção Hugo Rodas). Foi baterista em diversas bandas de Rock, Pop, Bossa Nova e MPB desde 1996. Como percussionista, integra o Tanaman Dùl e o Cantos de Encontro. 

 

 

 

 

João Santana

João Santana é repentista e acumula sete prêmios consecutivos em competições regionais. Produziu, arranjou e dirigiu diversos álbuns musicais, jingles e trilha sonora, em que participaram artistas como Xangai, Juraíldes da Cruz e Paulo Matricó. Tem composições gravadas por artistas de diversos estados do Norte e Nordeste. Tem participação em 6 filmes. É militante cultural nos âmbitos nacional e distrital e participa do processo de registro da Literatura de Cordel e do Repente como Bens do Patrimônio Imaterial da Cultura Brasileira, junto ao IPHAN. Foi ainda coprodutor dos eventos: Encontros Nordestinos de Cordel em Brasília; Encontros dos Campeões do Repente em Brasília; Cordel Operístico Lua Alegria e outros.

 

 

Naiara Lira

 Naiara Lira é cantora, compositora e produtora cultural. Canta profissionalmente desde os 19 anos e sempre foi a própria produtora. É professora de piano, canto e teoria musical em várias academias da cidade. Lançou recentemente disco autoral “Retalhos”, no Clube do Choro de Brasília e na Sérvia. É graduada em Letras Português e Música, e atualmente cursa bacharelado em Artes Cênicas.

 

 

 

 

Pedro Martins

Pedro Martins é músico, produtor e compositor. Estreou como baixista em 1978, nos grupos Terminal e Nóis. Na década de 80, passou a tocar nos grupos Cabeça Solta e Essência. Foi um dos fundadores da banda Oficina Blues, na década de 90. Em 1995, funda a banda Another Blues Band junto a outros músicos. Em 2004, abriu o Show de BB King em Brasília com a All Star Blues Band, no aniversário de Brasília de 50 e 51 anos.  

 

 

 

 

Rênio Quintas

 Renio Quintas é maestro, pianista, compositor e arranjador, formado pela Universidade de Brasília. Compõe trilhas sonoras para cinema, rádio e televisão. Na década de 80, criou grupos instrumentais na Capital Federal como Artimanha e o grupo Naipe. Foi Presidente do Movimento Candango pela Dinamização da Cultura (CUCA), entre 1978 e 1980. Atualmente é diretor musical e arranjador das produções solo de Célia Porto. Mantém o trabalho de música instrumental com "Renio Quintas Trio" e é produtor e realizador do Festival de Música Instrumental de Cavalcante, GO.