30 dias de JIUnBs Pocket

Texto por Cristiano Hoppe Navarro.
Fotografias por Lorrany Silva Castro, Victoria Cristina Costa e Vilma Maria Batista Nogueira.

 

FENÔMENO "MUTILADA" – Em uma pesquisa eleitoral, seria um empate técnico: após 30 dias de competições e realização de 65% das modalidades dos JIUnBs Pocket, a Mutante tem número de pontos menos que 3% maior que os da Tijolada: são 247 a 242. As duas Atléticas juntas possuem 489 pontos, mais que os 483 das demais dez Atléticas participantes somadas: o domínio é tanto e a disputa tão renhida que já ganhou até nome informal, "Mutilada".

“Mutilada”: a Mutante sagrou-se a terceira campeã de futmanobol dos JIUnBs ao vencer a Tijolada por 9 a 8 na final

 

TUBARÃO X ONÇA – No princípio, com o duelo de estreia no rugby touch misto e a sequencia da primeira maratona de jogos envolvendo mais quatro competições de esportes coletivos (basquete e vôlei em ambos os naipes) em três dias, parecia que a rixa maior seria entre o tubarão da Tijolada e a onça da Alucinada. Mas o conglomerado de cursos da área de Saúde parece ter sido prejudicado pelos 32 km que separam o campus Ceilândia, sede da maioria dos cursos que compõem a Atlética, do Campus Darcy, local das competições.

CAMPEÃ DOS COLETIVOS – Mesmo sem uma presença maciça nas competições ocorridas durante a semana sempre com início às 12h, a Alucinada manteve-se no terceiro posto, sendo a única Atlética além dos líderes até o momento a romper a barreira dos cem pontos, tendo conquistado o maior número de títulos em esportes coletivos: três (rugby touch, vôlei e futsal femininos).

 

 Alucinada e Tijolada marcaram muitos trys na primeira competição coletiva: o rugby touch misto

 

MUTANTE NO ENCALÇO – A Atlética de Biotecnologia, cujo animal-símbolo é uma ratazana geneticamente modificada, teve uma performance anabolizada nas últimas semanas. A diferença para a Atlética de Engenharia Civil diminuiu ligeira e constantemente a cada novo esporte, com resultados importantes como os títulos no vôlei e no Futmanobol masculinos, no atletismo feminino e masculino e no tênis de mesa. Vaticinou o representante da Atlética e atleta polivalente, Leonardo Pimentel de Freitas (veja boxe): "Aguardem"

.

ULTRAPASSAGEM NA ÁGUA – A Mutante finalmente ultrapassou a Tijolada no último sábado dentro das águas do Lago Paranoá, nos braços do casal-vinte da canoagem da UnB que, não à toa, ajudou os futuros biotecnólogos a saírem com vinte pontos em cada naipe: Amanda Karoline Santos Costa e Gabriel P. de Oliveira faturaram sete ouros e uma prata e são os atletas mais medalhados dos JIUnBs em uma única modalidade.

 A canoagem teve provas de 200 m e 500 m, ambas individuais e em duplas

O SPRINT DA TIJOLADA – Os futuros engenheiros civis que envergam uniformes laranja-tijolo tiveram até o momento como seu maior trunfo a adesão sem rodeios aos Jogos Internos da UnB 2016: são a única Atlética a ter participado de todas as modalidades. No entanto, para derrotar a Mutante no sprint final pelo título de campeão-geral dos JIUnBs Pocket será preciso mais. "Veni, vidi, vici" ("vim, vi, venci"): será preciso não apenas comparecer, mas vencer. Não é novidade para eles, que subiram no degrau mais alto do pódio no karatê e no basquete em ambos os naipes. Mais dois títulos similares e a vantagem parcial da Mutante se evapora.

EM BUSCA DA PONTUAÇÃO CENTENÁRIA – O embate também será emocionante entre a turma dos dois dígitos, aqueles que ainda não alcançaram os cem pontos, nos últimos 20 dias de competições e no terço final das modalidades que ainda hão de ser disputadas: o futebol, o judô, a natação, o truco, o handebol e o futebol virtual, cuja final marcada para a cerimônia de encerramento, às 12h do dia 12/12 com as 12 Atléticas, pode, em um cenário improvável, decidir o título geral dos JIUnBs Pocket caso persista o equilíbrio entre Tijolada e Mutante.

SEGUNDO PELOTÃO – A coruja da Aroeira de Engenharia Florestal, o gorila da Energética de Nutrição e o reino animal por inteiro da Animalia de Biologia têm perspectivas bastante realistas de ultrapassarem os cem pontos e até ameaçarem a posição da Alucinada, e brigam no segundo quarto da tabela, entre o 4º e o 6º lugar.

AROEIRA – A Aroeira, que quase chamamos Madeirada, destacou-se no atletismo e na canoagem: Izabel Oliveira Souza trouxe dois ouros e dois bronzes na corrida e a dupla Daniel Lebre e Thiago Mendes remou 200 metros no Lago Paranoá para trazer o ouro.

ENERGÉTICA – A Energética demorou a entrar na competição, ausente nas primeiras sete modalidades, mas desde o karatê vem pontuando com regularidade e é mais confiável que suas concorrentes no comparecimento nas competições, uma vez que ainda não foi penalizada com perda de pontos.

 

ANIMALIA – Os melhores resultados da Animalia, que cogitou denominar-se Dominante ou Desnaturada, foram os terceiros lugares no vôlei e futsal femininos. Foram bons resultados ainda no xadrez e o quarto lugar no futmanobol, para o qual os atletas se prepararam com dois dias de treinos.

INSANA – A Insana de Medicina estava viajando para o Intermed durante as primeiras competições, mas ensaiou uma recuperação com boas pontuações no atletismo, alavancadas pelo ouro de Luan de Gois Lucas, o homem mais rápido dos JIUnBs, com a marca de 11s55 nos 100 metros rasos. Depois veio o tênis de mesa e foi só: o calango estacionou no ranking, e sequer participou do futsal masculino, que atraiu todas as demais Atléticas. Uma nova recuperação, no entanto, já está prevista para este domingo no futebol de campo.

TERCEIRO PELOTÃO – A turma na casa dos vinte pontos tem o touro, o trirreme e o tiranossauro. A Indomável (Veterinária) conquistou menos pontos que a Odisseia (Letras) e Jurássica (Geologia, Geofísica, Ciências Ambientais e Geografia), respectivamente, mas está na frente porque as duas últimas desperdiçaram pontos com pontuações negativas por não comparecimento.

ODISSEIA – A Odisseia, com uma equipe formada por muitas atletas de futsal da equipe da UnB, teve desempenho homérico com a bola nos pés, com o melhor ataque e melhor defesa, mas deixou escapar o título no futsal feminino.

 

JURÁSSICA – Representada por um fóssil de T-Rex, dinossauro que viveu de fato no período Cretáceo, a Jurássica penou com W.O.s e teve um quarto lugar bastante comemorado no basquete masculino, considerando a performance heroica do quinteto que perseverou sem reserva algum.

 

INDOMÁVEL – Remontando ao filme de Martin Scorsese, o touro indomável lutou com força e valor nos ringues a que se propôs. Mas a Atlética de Veterinária foi muito seletiva, tendo participado de apenas duas modalidades até o momento, reduzindo assim suas chances. Neste domingo os estudantes de Veterinária participam do futebol, com altas expectativas depois do bronze no futsal.

 

MAQUIAVÉLICA -Virtú ou fortuna? Através única e exclusivamente do futsal, a Maquiavélica conseguiu praticamente zerar o efeito da pontuação negativa em três modalidades coletivas no primeiro fim-de-semana de competições. Os fins não justificam os meios: após um comportamento deplorável de seus atletas na partida de ida contra a Jurássica, a Atlética de Ciência Política se acertou sob a orientação do seu representante e MVP ("Most Valuable Player", ou Jogador Mais Valioso) Heitor Veras e voltou com conduta exemplar e foco na bola para conquistar o mais disputado de todos os campeonatos de esportes coletivos nos JIUnBs Pocket, o futsal masculino com suas onze equipes.

 

 Heitor Veras (no chão) e a equipe da Maquiavélica que conquistou o disputado certame de futsal

 
OS BÁRBAROS – Os Bárbaros, dos estudantes de História, foram a última Atlética a tomar forma e inscrever-se nos Jogos Internos da UnB 2016, seguindo uma tendência de formação de Atléticas tendo em vista principalmente o evento. Estão aí tão somente para se divertir e, ainda sem grande capacidade de organização, não chegaram a ameaçar nenhum império. Mas a História dá voltas e – quem sabe – venham a barbarizar em 2017?

 

JIUNBS EM NÚMEROS - Os JIUnBs Pocket são um evento organizado pela Diretoria de Esporte, Arte e Cultura, após um período de três anos sem realização dos Jogos Internos da UnB. São 16 esportes (sete coletivos e nove individuais), com 26 competições nos naipes feminino, masculino e misto entre 24 de outubro e 12 de dezembro, e mais de mil atletas participantes nos 50 dias de disputas na quadra, campo, pista, piscina, tatame, anfiteatro, mesas, baralhos, tabuleiros e no Lago Paranoá.

AS DOZE ATLÉTICAS – Quem saiu na frente nos JIUnBs foi a Milionária de Economia, com o título no xadrez misto de Raissa Vieira de Melo - refutando a tese de que existam diferenças inatas entre os sexos nas Exatas que colocariam os homens à frente, defendida por gente como o ex-reitor de Harvard Lawrence Summers. Com a retirada daquela que seria a 13ª Atlética, ficaram no páreo a Aroeira, Jurássica e Tijolada, predominantemente de Exatas; Maquiavélica, Odisseia e Os Bárbaros, de Humanas; e seis Atléticas de cursos das Ciências Biológicas: Alucinada, Animalia, Energética, Indomável, Insana e Mutante.

O QUE VEM POR AÍ – Nessa sexta, 25/11, teremos as finais do Futebol Virtual no Anfiteatro 10, para a qual estão classificados Iwar Neto da Tijolada, Pedro Chaves e Lucas Tassinari da Aroeira, William Dalton da Alucinada, Pedro Resende da Mutante, Marcos Assis da Odisseia e Bruno Mello e Lucas Oliveira da Maquiavélica. No domingo, 27/11, o Campo 1 do Centro Olímpico abrigará a competição de Futebol. Nos dias 28, 29 e 30/11 ocorrerão as lutas de Judô e entre 5 e 9/12 o truco, ambos no Udefinho no ICC Sul. A Natação será dia 2/12 na Piscina Semiolímpica do Centro Olímpico. As últimas competições são o handebol feminino (4/12) e masculino (11/12), no ginásio do Centro Olímpico. Por fim, a cerimônia de encerramento ocorrerá às 12h do dia 12/12 no Anfiteatro 9.

 

Cinco dos finalistas do Futebol Virtual que estão classificados para as quartas-de-final nesta sexta-feira (25/11) às 12h.

 

 Acompanhe atualizações frequentes com resultados, histórias e quadro de pontuação dos JIUnBs Pocket no Facebook da DEA e neste site.

 

O PERSONAGEM

 "O importante é competir", diz a máxima do Barão de Coubertin. Outra, esta um dito popular: "Pênalti é tão importante que tinha que ser cobrado pelo presidente do clube". Leonardo Pimentel de Freitas, 22 anos, faz jus às duas frases.

 Entusiasta do esporte, o estudante de Biotecnologia da UnB e atleta bolsista de vôlei pela Diretoria de Esporte, Arte e Cultura é ainda Diretor Esportivo da Atlética Mutante, atualmente em primeiro na classificação geral dos JIUnBs Pocket. A função de dirigente não impediu que ele cobrasse pênalti, assim como marcasse gols e pontos, com saques, cortadas, chutes e muito mais.

Atleta versátil, prevê ter se aventurado por sete modalidades ao término da competição, honrando assim o lema do idealizador das Olimpíadas modernas de que o que importa é competir da melhor maneira possível. E, no seu melhor, Leonardo já conquistou quatro medalhas.

 Se na Antiga Grécia o atleta mais completo era o vencedor do pentatlo, ao final de 2016 o estudante terá competido no seu "heptatlo particular": vôlei, basquete, tênis de mesa, atletismo, futebol, handebol e o futmanobol – único desporto coletivo jogado igualmente com mãos e pés, mescla de esportes exclusiva dos JIUnBs Pocket na qual foi escolhido MVP (Jogador Mais Valioso). Confira nas palavras dele a sua experiência nos Jogos Internos da UnB 2016. 

 

Leonardo Pimentel de Freitas e alguns dos seus esportes nos JIUnBs.

No início de setembro, quando surgiram rumores da realização de um JIUnBs Pocket, foi como um sonho se tornando realidade outra vez. Depois de 3 anos sem JIUnBs, teríamos novamente a chance de fomentar o esporte dentro dos cursos da universidade. Eu, como atleta, participei das edições de 2012 e 2013 e posso dizer que foram experiências inesquecíveis. Desta vez, o momento é ainda mais especial. Há 10 meses, eu, juntamente com outros diretores, criamos a Atlética Mutante, que representaria os estudantes de Biotecnologia em competições esportivas do ambiente universitário. Neste âmbito, o JIUnBs Pocket apareceu como uma ótima oportunidade.

 Eu, como diretor esportivo da Mutante, sou apaixonado por esporte e vi nos jogos uma ótima oportunidade para aprimorar minha técnica em diversas modalidades. Ao total, estarei competindo em sete delas, seriam nove se eu não tivesse que viajar para representar o time de voleibol da UnB.

 No voleibol eu estava "em casa", jogando de ponteiro-passador, fora de minha posição de origem (líbero), consegui ajudar meu time a conquistar o título. No dia seguinte, me aventurei no basquete. Não possuo muita técnica na modalidade, mas arremesso bem e corro muito, tudo para ajudar a minha equipe a conquistar o bronze.

 Durante a semana seguinte, fui me aventurar no tênis de mesa. Como eu havia sido campeão interclasses quando mais novo, achei que poderia me sair bem, mas infelizmente caí em um grupo muito forte e acabei desclassificado na primeira fase. Entretanto fiz ótimos jogos e saí com a sensação de dever cumprido. No fim dessa mesma semana, a Mutante sagrou-se campeã geral do atletismo. Foi um dia de competições muito divertido no qual pude correr as provas de 400 m, 800 m e o revezamento 4 x 100, chegando sempre entre os 5 melhores. À essa altura do campeonato meu corpo já havia desistido de mim, mas não eu dele.

 Mesmo lesionado, assim como todos meus companheiros de time, tive a chance de jogar um dos esportes mais conhecidos dentro da universidade, o futmanobol. A Mutante aplicou diversas goleadas até chegar na final onde sagrou-se campeã mais uma vez. A modalidade caiu como uma luva pra mim, já que reunia fundamentos do futsal e voleibol principalmente. Acabei sendo eleito o melhor jogador do campeonato, prêmio este que divido completamente com meus colegas desse time guerreiro.

 A disputa pelo primeiro lugar geral está acirrada, por isso o foco é nas próximas modalidades a serem realizadas. Próximo domingo estarei em campo como goleiro do time de futebol da Mutante e pretendo ajudar ao máximo minha equipe. Já em dezembro, no último dia de competições coletivas, relembrarei os bons tempos de escola jogando handebol.

 Temos uma equipe bastante forte que treinou muito e está pronta para dar o seu melhor. Sei que estou longe de ser o melhor em alguma modalidade, mas a minha paixão pelo esporte é o que me move a cada dia para ser um atleta mais completo.